quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Paixão...

Se ela fosse um lanche, seria um double combo de X-princesa. Se fosse um refri, fanta uva com espuma azul. Um doce, brigadeiro feito em casa num dia chuvoso. Musicalmente falando, ela seria “Chega de Saudade” em versão espanhol remixado. Um livro? Kama Sutra com legendas em alemão...Uma cidade, voilà: a nostálgica e romântica Paris. Bebida: copo de leite. E se ainda ela fosse uma palavra no dicionário, seria "INEXPLICÁVEL". Por isso, faço essas comparações. Porque tentar explicar tudo o que ela representa pra mim é tortura literária. De quem estou falando? Uma dica: começa com “pai” e termina com “xão”. Paixão. Isso mesmo.Quem nunca sentiu isso antes?

"Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura", escreveu o escritor brasileiro Guimarães Rosa.

O sentimento que faz a gente flutuar sem ter que necessariamente tirar os pés do chão é uma forma de amor comedido, que escapa pelos dedos da razão e vai se escorregando com o tempo. Em alguns casos, ela passa como o orgasmo – é bom, mas dura pouco. Em outros, se purifica e vira algo, digamos, mais sólido e concreto, o que eu ouso chamar de “amor”. Todos nós, mais cedo ou mais tarde, seremos vítimas dele. E para entendê-lo, não há Sr. Google que assopre respostas prontas.

É difícil de lidar, porque escapa à razão. Nos faz vítimas de nós mesmos. Entramos nas piores roubadas. Se preciso for, quem ama entra numa sinagoga judaica enrolado numa bandeira da Palestina recitando o alcorão. Ou, em estágio mais avançado, escreve um post shakespeariano no blog. Tem uma amiga da minha amiga da outra amiga que, quando está apaixonada, faz dez corações de origamis. Há ainda aqueles que colocam a foto do amado no celular, para lembrar dele algumas vezes durante o dia. Eu particularmente só faço o tal post. é mais minha cara, meu jeito não tão doce não me permite ficar olhando fotos e nem fazendo coraçõezinhos. Isso não quer dizer que eu não passe por tudo que todo mundo passa, só demosntro de formas diferentes.

E você, qual foi a loucura master de amor que já fez por alguém? Se não quiser se queimar, diga o que sua amiga, ou amiga da sua amiga, fez “em nome do amor”. hahaha... Só rindo mesmo!

Ultimamente ando meio instavel musicalmente, no mesmo dia subo e desço o nivel cultural umas vinte vezes... tinha acabado de escutar "gaiola das popozudas" antes de vir postar, ams quando sentei no pc já fui para "Teatro Mágico"... afinal.. sou uma pessoa com sentimentos. Não sou a menina Monstra como as vezes gosto de parecer.

"QUERO MAIS CARETA NO RETRATO... QUERO MAIS FOLIA NO MEU QUARTO" rs....

Mas enfim.. o que tem de novo do meu dia... é que estou agora procurando a fantasia perfeita pra festado Navio... sugestões? ahuahuahau Até agora só me veio em vestir a la Chicago... vamos ver né.. se até lá eu tô na mesma vibe 'mulher perigosa' ahuahuhuahuah.

Bom.. bjoooosss p meninada...

Dani Lima ;*

Um comentário:

Danilo disse...

Oi Dani como vai?
aqui qm vos escreve é seu amigo do "metadedopão"..rs..gsotei do post...me indentifico com muita coisa q vc disse ai...outra coisa q eh fato eh q saimos muito rapido da adolescencia neh..?ai vem akele pensamento :poxa poderia ter zuado mais na escola...ter tacado aquela bolinha de papel na professor filha da mãe..haha...mas depois a gente descobre q vlw a pena pq por causa de nao jogar esse bolinha somos respeitados onde qr q vamos..alguem lembra da gente e comprimenta com ar de respeito..ai penso:Valeu a pena tudo isso q naum fiz, pois sou aquilo q sempre quis...(nossa bonito isso q escrevi)..
Bem bjo pra vc se cuida e espero comentar muito aki!